Segurança no Trânsito


A Prefeitura de Fortaleza iniciou, em 2016, uma série de ações do Programa de Segurança no Trânsito de Fortaleza, envolvendo atividades de educação, fiscalização e infraestrutura. As iniciativas fazem parte de uma parceria entre a Prefeitura e o Programa de Segurança Viária da Bloomberg Philanthropies, uma instituição filantrópica com sede em Nova Iorque que objetiva traçar ações de curto, médio e longo prazos para conter e reverter a tendência crescente de fatalidades e ferimentos graves no trânsito.

 

Fortaleza foi uma das dez cidades selecionadas em todo o mundo para participar do programa da Bloomberg Philanthropies, que oferecerá à capital uma assistência técnica de especialistas globais em segurança no trânsito. O Programa de Segurança no Trânsito de Fortaleza é desenvolvido pela Secretaria Municipal de Conservação e Serviços Públicos (SCSP), por meio do Plano de Ações Imediatas de Transporte e Trânsito de Fortaleza (PAITT), que vem realizando, inclusive, treinamento para agentes e setores de inteligência do trânsito, campanhas educativas, ações de redução de acidentes, a exemplo das faixas elevadas e em diagonal para pedestres, além do estímulo ao uso de bicicletas nos deslocamentos urbanos.

 

Mais que benefícios para a mobilidade urbana em Fortaleza, as ações visam promover uma humanização do trânsito e tentar resolver aspectos da saúde pública, já que o desafio é reduzir, nos próximos cinco anos, o número de acidentes de trânsito em Fortaleza. A parceria visa disseminar as melhores práticas em segurança viária entre as cidades que hoje sofrem com os acidentes de trânsito que terminam por se transformar em um problema de saúde pública.

 

O Programa de Segurança no Trânsito de Fortaleza está baseado no monitoramento dos dados de acidentes de trânsito, com estudo sobre o desenho urbano e vias seguras, além de ações de fiscalização, educação, comunicação, mídia e marketing.

 

Diagnóstico, mapeamento e monitoramento das áreas de risco – Dentro deste organograma, as principais ações para 2016 serão o diagnóstico, mapeamento e monitoramento das áreas de risco a partir de um sistema georreferenciado de registro de acidentes no trânsito. Por meio deste trabalho, será possível um melhor conhecimento dos pontos críticos e dos perfis de acidentes e acidentados para o tratamento de locais problemáticos e apoiar a fiscalização planejada.

 

Programa de apoio ao pedestre – Com o projeto piloto já iniciado em quatro pontos do bairro Messejana (Regional VI), que já contam com travessias elevadas para pedestres, e também no cruzamento das avenidas Historiador Raimundo Girão e Rui Barbosa (Regional II), que recebeu a primeira faixa em diagonal para pedestres, também conhecida como "faixa em X", entregue recentemente com o Binário da Praia de Iracema, será dado continuidade ao Programa de Apoio ao Pedestre, que prevê 40 travessias elevadas na cidade em 2016. O projeto deverá contemplar todas as regionais, em locais próximos a escolas e hospitais, levando em consideração também a ocorrência de acidentes. Outras ações de apoio ao pedestre estão sendo avaliadas e serão executadas.

 

Tratamento de pontos críticos – Também será ampliado em 2016 o tratamento de pontos críticos de acidentes na cidade, a exemplo do que já foi feito em setembro deste ano no cruzamento da Rua Gustavo Braga com a Avenida José Bastos (Regional III), onde foi implantado um semáforo para facilitar o acesso no deslocamento ao Centro da cidade, como parte do projeto do Binário do bairro Rodolfo Teófilo.

 

Plano de gestão de velocidade – Também em 2016, será implantado gradualmente o Plano de Gestão de Velocidade, envolvendo o novo Sistema de Informação de Acidentes de Trânsito (SIAT) e elementos de moderação do tráfego, como travessias elevadas e ilhas para pedestres em contextos específicos, como em frente a escolas e hospitais.

 

Nova abordagem de fiscalização – Durante as novas abordagens em blitze pelos bairros e vias da cidade, o trabalho será feito em conjunto pela Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC), Guarda Municipal, Detran-CE e PRE-CE. Com isso, haverá uma maior percepção da ação de fiscalização tática e estratégica, baseada em dados e inteligência, criando a expectativa social de que o transgressor será flagrado em qualquer lugar e a qualquer momento. Também está prevista a realização de operações relâmpago, com foco no combate à prática de “beber e dirigir” e ao não uso do capacete.

 

Estratégia de comunicação e educação no trânsito – Envolvendo a sociedade, os órgãos da administração pública e os meios de comunicação, o programa vai promover estratégias para mudança de comportamentos. Nesse sentido, estão previstas ações de alinhamento com as escolas de Fortaleza e imprensa, com foco nos principais fatores de risco de acidentes apontados nas pesquisas, como blitze educativas, atividades nas ruas, distribuição de matérias informativos, dentre outros aspectos.

 

 

Plano de segurança no trânsito para motociclistas – Com a consultoria de especialistas internacionais e o apoio do Banco de Desenvolvimento da América Latina (CAF), serão realizadas ações específicas voltadas para os motociclistas em Fortaleza, levando em conta planos similares já desenvolvidos em outras cidades.