AMC Móvel


A Prefeitura de Fortaleza é a primeira do País a lançar um novo aplicativo que reúne os principais serviços na área de trânsito, gerenciados pela Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC), com o objetivo de aproximar ainda mais a população dos serviços prestados pelo órgão. O aplicativo, intitulado “AMC Móvel”, vai otimizar o registro de acidentes sem vítima para garantir maior fluidez nos deslocamentos, além de possibilitar a realização de outros procedimentos como indicação de condutor, recursos de autuações, consulta de veículos removidos, acompanhamento de investimentos feitos no trânsito da cidade e demais solicitações ao órgão.

Dentre as principais funções, a plataforma disponibiliza o Boletim de Acidente de Trânsito Eletrônico Unificado de Fortaleza (Bateu). Através desse mecanismo, os condutores envolvidos nos casos de acidentes que tenham causado apenas danos materiais, sem vítima, devem registrar a colisão, não sendo mais necessário aguardar a chegada dos agentes de trânsito no local. A medida possibilita que os veículos sejam retirados de forma mais rápida, desobstruindo o tráfego de passagem, evitando congestionamentos e até mesmo situações de insegurança viária.

Segundo o Art. 178 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB), “deixar o condutor, envolvido em acidente sem vítima, de adotar providência para remover o veículo do local está sujeito à infração de natureza média, quatro pontos na carteira de habilitação e multa no valor de R$ 130,16”. De acordo com o superintendente da AMC, Arcelino Lima, o novo aplicativo permite “seguir o que diz a legislação de trânsito. A exemplo das demais cidades do País, temos que promover uma mudança de cultura e priorizar o interesse coletivo. Uma pequena colisão gera, muitas vezes, grandes impactos, prejudicando a fluidez e a segurança de todos”, esclarece.

De acordo com dados registrados na Central de Atendimento da AMC, os acidentes sem vítima representaram cerca de 60% dos acidentes de trânsito. Em 2017, por exemplo, foram registradas pelo órgão 24.466 ocorrências. Com a mudança, a AMC vai poder atuar, a partir de agora, priorizando não apenas os atendimentos a acidentes com vítima, mas também reforçará ações de caráter preventivo, atuando mais fortemente para que colisões sejam evitadas e vidas preservadas.

Como funciona?

Para baixar o aplicativo, o condutor precisa cadastrar seus dados e preencher o passo a passo do procedimento. Se tiver o seu veículo envolvido em um acidente sem vítima, o condutor utiliza o aplicativo, informando um breve relato da ocorrência e anexando as imagens necessárias para descrever a colisão. Ao preencher as informações exigidas, a via deve ser desobstruída imediatamente.

Com o aplicativo, o usuário terá a opção de preencher as informações também no modo offline, a fim de que sejam enviadas no momento em que o dispositivo estiver conectado à internet. Quem desejar registrar o acidente posteriormente, deve fazer em um prazo de até 30 dias após a colisão, via web, através da página da centralamc.com.br. 

De acordo com a Portaria Nº 306/2017, publicada no Diário Oficial do Município, edição do dia 22 de dezembro, os dados lançados pelo aplicativo serão analisados por técnicos da AMC que avaliarão sua consistência e liberarão sua impressão em sítio eletrônico em até cinco dias úteis, podendo ser usado pela seguradora e usado como prova em ações judiciais.

“A grande importância do aplicativo é a transparência e a facilidade no acesso. Estaremos simplificando o processo e dando segurança sobre o registro da ocorrência. Sem dúvida, é um grande avanço para a cidade de Fortaleza, que atualiza o seu protocolo de atendimento a acidentes. Nós estamos sendo pioneiros ao lançar uma ferramenta que engloba diversos serviços”, explica Arcelino Lima.

Para os acidentes que tenham ocorrido nas vias internas de condomínios, em estacionamentos privados, mesmo que de uso coletivo, ou em qualquer outro espaço que não esteja inserido na jurisdição do Município, assim como as rodovias federais ou estaduais, não serão registrados pelo aplicativo.

Como a mudança exige uma completa compreensão dos motoristas, haverá um período de adaptação em que os próprios agentes continuarão dando suporte e incentivarão a adoção da plataforma.

Outras funções:

O aplicativo também vai permitir que o usuário possa consultar dados referentes aos investimentos no trânsito, bem como receitas e custos, através do “AMC Transparente”. Além disso, de forma mais cômoda, será permitido recorrer de uma multa ou verificar se o seu veículo foi rebocado em operações cotidianas desenvolvidas pelo órgão.

Fortaleza é a primeira cidade do País a englobar todos os serviços na área de trânsito numa mesma plataforma, que vai facilitar a vida dos cidadãos, garantindo um ir e vir com mais agilidade e segurança.

 

AMC Móvel

A Prefeitura de Fortaleza é a primeira do País a lançar um novo aplicativo que reúne os principais serviços na área de trânsito, gerenciados pela Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC), com o objetivo de aproximar ainda mais a população dos serviços prestados pelo órgão. O aplicativo, intitulado “AMC Móvel”, vai otimizar o registro de acidentes sem vítima para garantir maior fluidez nos deslocamentos, além de possibilitar a realização de outros procedimentos como indicação de condutor, recursos de autuações, consulta de veículos removidos, acompanhamento de investimentos feitos no trânsito da cidade e demais solicitações ao órgão.

Dentre as principais funções, a plataforma disponibiliza o Boletim de Acidente de Trânsito Eletrônico Unificado de Fortaleza (Bateu). Através desse mecanismo, os condutores envolvidos nos casos de acidentes que tenham causado apenas danos materiais, sem vítima, devem registrar a colisão, não sendo mais necessário aguardar a chegada dos agentes de trânsito no local. A medida possibilita que os veículos sejam retirados de forma mais rápida, desobstruindo o tráfego de passagem, evitando congestionamentos e até mesmo situações de insegurança viária.

Segundo o Art. 178 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB), “deixar o condutor, envolvido em acidente sem vítima, de adotar providência para remover o veículo do local está sujeito à infração de natureza média, quatro pontos na carteira de habilitação e multa no valor de R$ 130,16”. De acordo com o superintendente da AMC, Arcelino Lima, o novo aplicativo permite “seguir o que diz a legislação de trânsito. A exemplo das demais cidades do País, temos que promover uma mudança de cultura e priorizar o interesse coletivo. Uma pequena colisão gera, muitas vezes, grandes impactos, prejudicando a fluidez e a segurança de todos”, esclarece.

De acordo com dados registrados na Central de Atendimento da AMC, os acidentes sem vítima representaram cerca de 60% dos acidentes de trânsito. Em 2017, por exemplo, foram registradas pelo órgão 24.466 ocorrências. Com a mudança, a AMC vai poder atuar, a partir de agora, priorizando não apenas os atendimentos a acidentes com vítima, mas também reforçará ações de caráter preventivo, atuando mais fortemente para que colisões sejam evitadas e vidas preservadas.

Como funciona?

Para baixar o aplicativo, o condutor precisa cadastrar seus dados e preencher o passo a passo do procedimento. Se tiver o seu veículo envolvido em um acidente sem vítima, o condutor utiliza o aplicativo, informando um breve relato da ocorrência e anexando as imagens necessárias para descrever a colisão. Ao preencher as informações exigidas, a via deve ser desobstruída imediatamente.

Com o aplicativo, o usuário terá a opção de preencher as informações também no modo offline, a fim de que sejam enviadas no momento em que o dispositivo estiver conectado à internet. Quem desejar registrar o acidente posteriormente, deve fazer em um prazo de até 30 dias após a colisão, via web, através da página da centralamc.com.br. 

De acordo com a Portaria Nº 306/2017, publicada no Diário Oficial do Município, edição do dia 22 de dezembro, os dados lançados pelo aplicativo serão analisados por técnicos da AMC que avaliarão sua consistência e liberarão sua impressão em sítio eletrônico em até cinco dias úteis, podendo ser usado pela seguradora e usado como prova em ações judiciais.

“A grande importância do aplicativo é a transparência e a facilidade no acesso. Estaremos simplificando o processo e dando segurança sobre o registro da ocorrência. Sem dúvida, é um grande avanço para a cidade de Fortaleza, que atualiza o seu protocolo de atendimento a acidentes. Nós estamos sendo pioneiros ao lançar uma ferramenta que engloba diversos serviços”, explica Arcelino Lima.

Para os acidentes que tenham ocorrido nas vias internas de condomínios, em estacionamentos privados, mesmo que de uso coletivo, ou em qualquer outro espaço que não esteja inserido na jurisdição do Município, assim como as rodovias federais ou estaduais, não serão registrados pelo aplicativo.

Como a mudança exige uma completa compreensão dos motoristas, haverá um período de adaptação em que os próprios agentes continuarão dando suporte e incentivarão a adoção da plataforma.

Outras funções:

O aplicativo também vai permitir que o usuário possa consultar dados referentes aos investimentos no trânsito, bem como receitas e custos, através do “AMC Transparente”. Além disso, de forma mais cômoda, será permitido recorrer de uma multa ou verificar se o seu veículo foi rebocado em operações cotidianas desenvolvidas pelo órgão.

Fortaleza é a primeira cidade do País a englobar todos os serviços na área de trânsito numa mesma plataforma, que vai facilitar a vida dos cidadãos, garantindo um ir e vir com mais agilidade e segurança.